Troca de Fluido de Radiador.

Ao contrário do que muita gente ainda pode pensar, carro não precisa só de gasolina para rodar. A verdade é que, para garantir a durabilidade dos componentes e a segurança tanto do veículo como dos passageiros, são vários os cuidados que devem ser tomados no dia a dia.

Assim como acontece com os organismos vivos, os motores dos carros precisam de algum mecanismo que regule sua temperatura durante o funcionamento. No caso dos motores refrigerados por água, que hoje equipam basicamente todos os carros novos, o dispositivo responsável pelo arrefecimento é justamente o radiador.

Qual a função do fluido?

Apesar de a água ser um refrigerante natural por excelência, suas características físicas e químicas podem não ser suficientes para garantir a estabilidade da temperatura em muitos casos. É por isso que o uso do fluido aditivo para radiador é tão importante! O propósito aqui é aumentar o desempenho do sistema de arrefecimento.

Ao completar o nível do reservatório do radiador com água e fluido na proporção correta, temos como resultado uma solução com ponto de ebulição mais elevado, o que melhora a capacidade de resfriamento. Além disso, o aditivo ainda abaixa o ponto de congelamento da água para menos de 0°C, o que é bem interessante para os carros que circulam em regiões de clima mais frio — como ocorre no sul do país, durante o inverno, por exemplo.

Isso sem contar que essa mistura também protege o sistema de arrefecimento contra a corrosão, além de ainda corrigir outras características da água pura que podem acabar causando danos ao motor e a outros sistemas existentes no carro.

Quando trocar o aditivo?

Geralmente, a recomendação das montadoras é para que o fluido aditivo seja trocado em intervalos de 30 mil quilômetros ou a cada 12 meses. A razão da escolha entre a quilometragem rodada e o tempo acontece porque, como grande parte dos produtos químicos, o aditivo tem prazo de validade. Assim, mesmo que o carro rode menos que 30 mil quilômetros, é preciso providenciar a troca.

Mas atenção: é sim possível que o fabricante recomende trocas em intervalos diferentes ou que use aditivos conhecidos como long life, que dispensam troca frequente. Por isso, antes de mais nada, é importante consultar o manual do proprietário para saber exatamente quando a substituição precisa ser feita.